Nota: Dona Maria Pretinha de Apipucos

Foto: Reprodução
NOTA - DONA MARIA PRETINHA: Ao tocar dos sinos no alto da Igrejinha, a segunda-feira, 08 de julho de 2019, alvorecia mais melancólica na comunidade de Apipucos. É que Dona Maria José do Carmo, a solidária e guerreira “Pretinha” que com muito amor nomeia o nosso cineclube, aos 96 anos, nos deixava em corpo físico passando a compartilhar a sua luz e a sua alegria também em outros planos. Uma legião daquelas crianças que tinham livre acesso à casa de Pretinha em décadas passadas, hoje já adultas e muitas já germinaram outras sementes, sentem-se igualmente órfãos com a sua partida, ao lado dxs quatro filhxs (Múrcio, Márcio, Marcílio e Marluce), 11 netxs e 16 bisnetxs que permanecem conosco. Ao longo de sua vida, Pretinha acolheu tanta gente em seus braços que fica até difícil, ou até mesmo insensível, restringir os significados das palavras “mãe”, “avó” ou “bisavó” de forma literal. Em seu coração largo e caridoso sempre coube mais uma ou mais um, sem distinção, todxs tratadxs com o mesmo afeto. E em sua casa nunca foi diferente. Era na Rua dos Caetés que as portas estavam sempre abertas ao ir e vir, nos saudosos tempos em que os quintais não eram limitados por cercas, quando “vizinhança” era sinônimo de “família”. 

Maria Pretinha sempre cuidou das crianças e dos jovens que moravam na comunidade. Durante maior parte da vida, seu cantinho de trabalho era na beira do Açude de Apipucos, onde lavava a roupa de famílias renomadas da região. Era assim que conseguia dinheiro para comprar alimentos e ajudar as pessoas que chegavam com fome em sua porta. É de impressionar a força, a vontade de viver, a resistência e a história de luta dessa mulher! Um fato curioso que muita gente não sabe é que Pretinha adorava nadar, atravessava o açude de uma ponta a outra sem muitos esforços, quando as águas ainda eram límpidas e não havia a triste poluição de hoje. Essa habilidade a levou a ser a grande campeã de uma competição de natação entre grupos de idosas no Parque e Centro Esportivo Santos Dumont, em Boa Viagem, há uns anos. Motivo de orgulho para as amigas que contam a história com o sorriso alargado no rosto. 

Pretinha era uma energia linda em pessoa! No período natalino, gostava de se apresentar com um grupo de Pastoril na Praça do Entroncamento, nas Graças, quando ainda haviam festejos de fim de ano no lugar. Já no São João, dançava ciranda e se apresentava em algumas programações culturais. A dança sempre moveu seu corpo, seu lindo e espontâneo jeito de ser. Vai-se uma parte do nosso ser pulsante de Apipucos. Um pedacinho do coração de cada uma e de cada um que teve o privilégio de sentir de perto, nem que por poucos momentos, a energia de luz de Maria Pretinha! Fica o seu exemplo de amor, de afeto, de união, de coletividade, de respeito, de compaixão, de solidariedade e de muita alegria de viver! 

Nós, facilitadoras e articuladoras do Luíla e Pretinha Cineclube, agradecemos ao universo por termos tido a oportunidade de conhecê-la. Na nossa última sessão, dia 29 de junho, tivemos a felicidade de contar com a sua presença, quando o seu abraço, o seu sorriso e o seu bom-humor iluminaram o Conselho de Moradores de Apipucos, lugar onde ela vivenciou tantas lutas em prol da comunidade. Celebramos o seu aniversário de 96 anos e ali já nos despedíamos. Aquela presença de luz permanece e sempre permanecerá nas nossas memórias e nos nossos corações! Pretinha vive!!! Obrigada por tudo e por tanto! ❤️ 


*O velório aconteceu na noite dessa segunda-feira (08/07), no Salão Paroquial de Apipucos, onde na manhã desta terça-feira (09/07) foi realizada uma missa de corpo presente. *O sepultamento aconteceu às 11h30 desta terça-feira (09/07), no Cemitério de Casa Amarela. *A missa de sétimo dia será no domingo (14/07), às 19h, em Apipucos.