Sexta-feira (1º) é dia da abertura oficial do Carnaval do Recife


A abertura oficial do Carnaval do Recife está pronta. Próxima sexta-feira (1º/03), os foliões têm compromisso com a folia de Momo no Marco Zero. O show que abre a festa mais popular do Brasil começa às 17h, com a Orquestra Popular do Recife. A noite contará também com apresentações dos dois homenageados do carnaval, Belo Xis e Gerlane Lops, além do Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Antes disso, o público confere o espetáculo O Carnaval de Todo Mundo, que tem direção musical assinado por César Michilles, a direção artística é de Dielson Pessoa e figurinos de Leopoldo Nóbrega.
A festa começa com o clássico toque dos clarins anunciando que a brincadeira vai começar, muito embora o folião, principal estrela da festa, já tenha colocado o bloco na rua desde o início do mês de fevereiro. Os monarcas, o Rei e a Rainha do Carnaval 2019, Henrique Marinho e Lucrécia Teixeira, fazem as honras da casa e recebem a chave da cidade para os cinco dias de folia. O ato é o anúncio oficial de que agora é para valer.
Às 19h o palco do Marco Zero recebe o espetáculo O Carnaval de Todo Mundo, com shows e apresentações que celebram o frevo, o samba e a arte que nasce da periferia do Recife, como a turma do passinho e o brega. Tudo isso num grande e efervescente caldeirão cultural que é a capital pernambucana. O elenco conta com 100 bailarinos e músicos que participarão divididos em seis cenas. O espetáculo terá duração de 1h20 com várias participações, incluindo o Coral Voz Nagô, César Michilles, DJ Tiago Pinheiro, Cajú e Castanha, Michele Melo, Kelvis Duran, Zé Brown, DJ Big, Bruninho, Gigantes do Samba, Transversal Frevo Orquestra entre outros grandes nomes do cenário musical pernambucano.
O espetáculo O Carnaval de Todo Mundo, que nasce do encontro entre várias potências criativas de diferentes linguagens artísticas com a periferia, seus movimentos e suas mais genuínas tradições, contará com projeções de Gabriel Furtado e Cauê Nascimento (VJs Retinantz), iluminação cênica de Jathyles Miranda (Casa da Luz) e produção de João Victor Carvalho, do Coletivo Boikot. Os figurinos de todo o elenco levarão a assinatura de Leopoldo Nóbrega, num cuidadoso processo criativo que levou em consideração as referências sociais e culturais evocadas a cana cena.
“O espetáculo foi construído a muitas mãos e corpos. Todos os bailarinos são coautores do repertório de movimentos que vamos apresentar”, diz o diretor Dielson Pessoa, bailarino e coreógrafo que já integrou renomadas companhias nacionais, como a de Deborah Colker, dançou em vários países e montou uma companhia própria recentemente, a Cia Cais de Dança. “Partindo da premissa de que a periferia é protagonista da criatividade, fomos buscar bailarinos com e sem formação, de diferentes escolas rítmicas, em várias partes da cidade, inclusive nos Compaz. Teremos em cena também bailarinos com deficiência, com síndrome de down, porque queremos abraçar a cidade inteira e todos que vivem nela.”
Caldeirão Afro Brasileiro – O espetáculo começa, como a história do Brasil, tratando da cultura de matriz africana e da profunda influência que ela teve na formação da identidade nacional. Entre as atrações musicais que subirão ao palco neste momento, estão Lucas dos Prazeres e Jerimum de Olinda, no comando de 23 percussionistas, além dos guitarristas Paulo Rafael (Ave Sangria) e Neilton (Devotos), além do Coral Voz Nagô e do guitarrista Júnior Xanfer.
Dançando para os orixás, bailarinos do Magê Molê e do Balé Afro Raízes darão corpo ao conteúdo sonoro do caldeirão. “Momentos da vida diária das tribos, ritos e tradições, como a homenagem aos deuses, à natureza, a coroação de um rei ou a morte, estão entre as representações. Os movimentos serão feitos de forma coletiva, numa demonstração de igualdade e força”, explica Dielson.
Delírios Tecnológicos – Com participação do multi-instrumentista paulista Thiago Pinheiro, referência da música eletrônica brasileira, esse bloco promoverá um diálogo musical e rítmico entre inovação e tradição, representada pelos pífanos de Alexandre Rodrigues e Anderson do Pife e ainda pelas cirandas e loas do Mestre Anderson, e emboladas de Cajú e Castanha, numa mistura sonora inusitada que só o Carnaval poderia propiciar. 
“O Marco Zero se transformará numa arena de luzes, vídeo e projeções. Nas coreografias, a linguagem será global, com interferências regionais”, diz Dielson, que selecionou cuidadosamente um seleto time de bailarinos contemporâneos da cidade para essa cena. 
Rolezinho do Compaz – A terceira cena, que contará com a participação de alunos das duas unidades do Compaz, fará uma referência à prática instituída no Compaz Eduardo Campos, instalado no Alto de Santa Terezinha, onde jovens da comunidade se reúnem sistematicamente para apresentações culturais protagonizadas por eles mesmos. Foram esses rolezinhos que revelaram ao Brasil o MC Bruninho, um dos protagonistas do bloco, junto com Zé Brown, que hoje é uma referência nacional para o rap do Recife. Brown fará improvisos ao som do frevo.
O bloco tem ainda a participação do DJ Big, produtor cultural do equipamento, que fará a intervenção de beat na música de Zé Brown. Big é organizador do Rolezinho do Compaz Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, e dos eventos artísticos-musicais do Centro Comunitário da Paz.
As coreografias, que vêm sendo ensaiadas desde outubro, contarão com dançarinos selecionados em oficinas realizadas por Dielson e sua equipe nas duas unidades do Compaz.
Festa na Periferia – Na segunda cena, pulsarão no palco do Marco Zero os ritmos que embalam as periferias – e também o asfalto -, como o brega e o funk, representados por alguns de seus maiores expoentes na cidade, como Michelle Mello, Kelvis Duran, Victor Santos (Musa). As bases musicais criadas por Cesar, que serão executadas com a interferência do DJ Junior Cabeleira, promoverão um encontro entre frevos clássicos, como Cala a Boca menino, de Capiba, com uma levada diferente, batizada de frevo-funk-brega.
As coreografias transportarão o público para o bairro de Peixinhos, referência e nascedouro das várias cenas culturais que convivem no Recife, dando visibilidade aos grupos históricos da comunidade, em conjunto com os movimentos emergentes.
Carnaval de Gigantes – O penúltimo bloco do espetáculo irá colorir de samba o Marco Zero, numa homenagem à Escola Gigantes do Samba, com toda a força percussiva da bateria da escola. Outros gigantes farão parte do elenco: os bonecos que são a cara do Carnaval pernambucano.
Batalha de Rua – Em alusão às origens do frevo, o derradeiro bloco do espetáculo voltará aos carnavais saudosos, promovendo uma festa de sombrinhas e capoeiras, fazendo passo ao som do frevo rasgado. A Transversal Frevo Orquestra, comandada por Cesar Michiles, executará clássicos da folia recifense, enquanto passistas da Escola de Frevo, mantida pela Prefeitura, se revezarão nas acrobacias, anunciando que chegou a hora de pular Carnaval. Deste final apoteótico, participarão também 25 garis, celebrando o aniversário do clássico frevo Vassourinhas.
“Esse espetáculo, que saúda tantos gêneros musicais, não podia acabar ao som de outro ritmo senão o frevo, que nasceu do maxixe, da polca, das marchas e hoje conversa com o brega, com o hip hop, com o samba. É do tamanho da folia recifense”, celebra Cesar Michiles.
Shows – Gerlane Lops, Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério e Belo Xis se apresentam nessa sequência no palco do Marco Zero. O samba de Gerlane Lops vem no show especialmente preparado para esta grande noite: Salve o Samba. Dentre as participações que cantam junto com ela está o sambista Péricles, um dos fundadores do grupo de pagode Exaltasamba. Juntos eles cantam Samba pra Você. Ainda no repertório da homenageada músicas como ReconvexoCanto das Três Raças, Mulher Frevo, Deixa a Vida Me Levar e Coisinha do Pai.
Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério trazem o show Efervescência e recebem no palco do Marco Zero alguns convidados. Nena Queiroga é a primeira a subir ao palco com o maestro e, dentre as músicas que estão no repertório da sua participação canta Chuva de Sombrinhas, Banho de Cheiro Frevo Mulher. Os homenageados também estão entre os convidados e dividem o palco cantando Foi um Rio que Passou em Minha Vida. Canibal também marca presença no Efervescência de Forró e canta Negro Gato e Diabo Loiro. Almir Rouche vem na sequência e traz É Tanto Amor e Galera do Brasil, entre outros sucessos do carnaval.
Belo Xis, também homenageado do Carnaval do Recife, traz mais samba para fechar a noite de abertura no Marco Zero. Abrindo o repertório do show, a música Não Deixe o Samba Morrer chegará nas vozes de alguns convidados: Wellingthon do Pandeiro, Maria Pagodinho, Selma do Samba, Luísa Pérola, Ramos Silva e Ely Peroais. Ainda ao lado dessa turma de peso do samba do Recife, Belo Xis cantará A Amizade. O repertório conta ainda com Pra Chatiar, Vai Lá Vai Lá, O Show tem que Continuar entre outros enredos. Ao final, a Escola de Samba Gigantes do Samba anima a multidão.
Programação dos shows
Espetáculo de Abertura – “Carnaval de todo mundo” – 19h
César Michiles & Transversal Frevo Orquestra
Thiago Pinheiro
MC Bruninho
Lucas dos Prazeres 
Grupo Voz Nagô
G.R.C.A Gigante do Samba
Caju & Castanha
Zé Brown
DJ Big
Victor Santos no Passo do Frevo

Gerlane Lops e Convidados – 20h40
Péricles
Mariene de Castro
Siri do Cavaco
Serginho Meriti
Gustavo Travassos
Rodrigo Leite
Maestro Marco César e Marcelinho Moreira

Maestro Forró & OPBH e convidados – 22h15
Café Preto 
Almir Rouche
Nena Queiroga
Michelle Melo
Érica Natuza
Ed Carlos

Belo Xis e convidados – 00h20
Michele Melo
Bia Villa Chan
Luiz de Oliveira
Ronaldinho (Ex-Fundo de Quintal)
Wellington do Pandeiro
Jorge Riba, Maria Pagodinho
Gerlane Gell
Paulista do Pandeiro
Gigante do Samba

Repertórios Gerlane Lops, Maestro Forró e Belo Xis, que se apresentam nesta ordem.
GERLANE LOPS – SHOW SALVE O SAMBA
  1. DA BRANCA
  2. CANTO DAS TRÊS RAÇAS
  3. ANUNCIAÇÃO
  4. TUDO NOVO DE NOVO
  5. NÃO DEIXE O SAMBA MORRER
  6. OBÁ OBÁ (dança afro)
  7. ABRE CAMINHO/A PUREZA DA FLOR
  8. RECONVEXO
  9. ALGUÉM ME AVISOU
  10. O SAMBA CHEGOU (Guga)
  11. FREVO MULHER
  12. SAMBA PRA VOCÊ (Péricles)
  13. FULMINANTE
  14. LOGO DE MANHÃ (todos juntos)
  15. DEIXA A VIDA ME LEVAR
  16. ÁGUA DE CHUVA NO MAR
  17. VOU FESTEJAR
  18. COISINHA DO PAI
Repertórios Gerlane Lops, Maestro Forró e Belo Xis, que se apresentam nesta ordem.
GERLANE LOPS
SHOW SALVE O SAMBA
1 DA BRANCA
2 CANTO DAS TRÊS RAÇAS
3 ANUNCIAÇÃO
4 TUDO NOVO DE NOVO
5 NÃO DEIXE O SAMBA MORRER
6 OBÁ OBÁ (dança afro)
ABRE CAMINHO/A PUREZA DA FLOR
8 RECONVEXO
9 ALGUÉM ME AVISOU
10 O SAMBA CHEGOU
(Guga)
11 FREVO MULHER
12 SAMBA PRA VOCÊ
(Péricles)
13 FULMINANTE
14 LOGO DE MANHÃ
(todos juntos)
15 DEIXA A VIDA ME LEVAR
16 ÁGUA DE CHUVA NO MAR
17 VOU FESTEJAR
18 COISINHA DO PAI
MAESTRO FORRÓ E ORQUESTRA POPULAR DA BOMBA DO HEMETÉRIO
SHOW SALVE O SAMBA
1.FREVANDO EM BOMBA DO HEMETÉRIO
2. SUITE AMÉRICA (ABERTURA)
3. CHUVA SUOR /VOLTEI RECIFE/ HINO DO GALO
4.LEÃO. NORTE/COMETA MAMBABY
NÊNA QUEIROGA
5. CHUVA DE SOMBRINHAS  (DANÇARINOS)
6.NÃO QUERO DINHEIRO/PAIS TROPICAL/ARÊRÊ/THACH MARAL
7.BANHO DE CHEIRO
 8.FREVO MULHER/MARIA MARIA ( NATUZA.M.MELO,YLANA E MAYARA)
9. DE CHAPEU /BELA/TROMB/FREVCIRAN/CIRANDAS
10. NÃO DEIXE O SAMBA MORRER
GERLANE/BELO X
11. DA BRANCA
12.FOI UM RIO QUE PASSOU EM MINHA VIDA 4MIN
13. CABELO DE FOGO
14.PÉ DE COCO
CANIBAL
15. NEGRO GATO
16.DIABO LOIRO
17. PRAIEIRA (D ANGELO)
ALMIR ROUCH
18.NAS ONDAS /RECIFE MARACATU
19..É TANTO AMOR/SOU TEU AMOR
20.GALERA DO BRASIL
DANGELO COM ALMIR
21..CIRANDA DE MALUCO
22  ELEFANTE/CEROULAS/H.MEIA NOITE
23.  ARREIA A LENHA
22 TODOS CANTAM .BATUTAS 
BELO XIS
MÚSICAS
1.NÃO DEIXE O SAMBA MORRER – (BELO XIS COM WELLINGTON DO PANDEIRO, MARIA PAGODINHO, SELMA DO SAMBA, LUISA PEROLA, RAMOS SILVA, ELY PEROAIS E OUTROS)
2. A AMIZADE (BELO XIS COM AMIGOS);
3. BOCA DE FORNO (CANTADA APENAS POR BELO XIS)
4. SAMBA PRAS MOÇAS (CANTADA APENAS POR BELO XIS)
5. CANTO DAS 3 RAÇAS (BELO XIS E BIA VILLA CHAN)
6.BRASILEIRINHO ( BIA VILLA CHAN)
7.SAMBA DE NINAR (CANTANDA APENAS POR BELO XIS)
8. FALSA BAIANA ( BELO XIS E MICHELLE MELO)
9. BABY DOLL (MICHELLE MELO)
10. PRA CHATIAR (LUIZ DE OLIVEIRA)
11. PARABÉNS PARA VOCÊ (LUIZ DE OLIVEIRA)
12. EXPLODE CORAÇÃO ( BELO XIS E LUIZ DE OLIVEIRA)
13. DEIXA A VIDA ME LEVAR (BELO XIS)
14. O SHOW TEM QUE CONTINUAR (RONALDINHO – FUNDO DE QUINTAL)
15. VAI LÁ, VAI LÁ (RONALDINHO – FUNDO DE QUINTAL)
16. SORRISO NEGRO (RONALDINHO)