Galo Gigante da ponte foca em inclusão social e sustentabilidade


Um galo orgulhoso de suas origens, de olho na inclusão social e sustentabilidade. Este é o espírito da alegoria do Gigante da ponte Duarte Coelho, que vai reinar durante os festejos de Momo 2019. Para dar vida à escultura mais querida do Carnaval recifense, a Prefeitura do Recife convidou o artista plástico, designer e consultor pernambucano Leopoldo Nóbrega, que será o responsável pela confecção de um dos principais símbolos da festa.
Para o projeto deste ano, o Galo fortalece uma rede de artesãos, voluntários e técnicos provenientes da periferia da cidade, por isso, a escultura será intitulada de “Galo Artesão”, para enaltecer a importância destes profissionais que fazem de Pernambuco um celeiro de talentos naturais. Para dar vida à alegoria, trabalham na equipe doze carnavalescos da Bomba do Hemetério e mais oito técnicos do Arte Plenna, empresa de Leopoldo em parceria com a irmã e sócia, Germana Nóbrega.
Para além da beleza e da moda, o foco da confecção do Galo da Madrugada este ano é na sustentabilidade. “Quem cria o insumo também é responsável por ele até o momento do descarte, por isso a responsabilidade ambiental vai estar muito presente no “Galo Artesão”, dispara Nóbrega. Cerca de 50% dos materiais para confecção do gigante serão de reutilização de resíduos do Polo de Confecção de Pernambuco.
O Polo, que é considerado o segundo maior do país, teve início com a “Sulanca”, famosa feira de artigos de vestuário que inicialmente eram produzidos com os resíduos de tecido das fábricas do Sul.
Sobre as inspirações para fazer o Galo, Leopoldo conta: “Dei asas à imaginação e fui buscar inspiração na moda do Polo de Confecção, com sua produtividade em jeans; no artesanato de barro do Alto do Moura, homenageando o Mestre Severino Vitalino; nos brinquedos populares de materiais reciclados; no visual imponente típico do nosso povo. O Galo vai cacarejar para o mundo todo o potencial cultural e artesanal que temos nas veias”, explica o Leopoldo.
Ao reaproveitar as sobras de jeans das indústrias de Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe para vestir o Galo da Madrugada, Leopoldo Nóbrega projeta um caminho visionário na intenção de restaurar a identidade do Polo da moda de Pernambuco, trazendo luz para a problemática ambiental na moda.
Sobre Leopoldo Nóbrega
Nóbrega fez a sua primeira obra de arte aos 10 anos. De lá pra cá, são quase 30 anos, dezenas de coleções autorais em desfiles, exposições no mercado nacional e inúmeros prêmios e projetos.